• Pedro Sahium

Religião, Pandemia e Milagre

Tempos de pandemia sempre suscitam sentimentos religiosos, sentimentos que parecem ser de fé. Na maior parte das vezes são sentimentos apocalíticos, de fim de mundo, ou de castigo divino. A tentativa de tais raciocínios é dar um sentido para o que parece não ter nenhum. Escapismos de todo tipo tentam nos esconder a dura realidade da fragilidade humana e da efemeridade da vida. Boa parte dos que se acham religiosos nem percebem, mas o que demonstram ao buscar uma religião é, como já disse o sociólogo Max weber, "saúde, dinheiro e vida longa..."


Pandemia, religião, fé e milagre. O que vivenciei e li sobre o assunto, sintetizei abaixo na perspectiva do cristianismo.

1) Mais que um sistema de ritos, símbolos e dogmas, o cristianismo é um sistema e um sentimento perfeitamente adaptado a momentos de tribulações e adversidades. (Rodney Stark, 2006). Muitos estão censurando a senilidade, outros tentam encontrar uma explicação que assevere que “os eventos momentâneos dessa tragédia reflitam intenções históricas subjacentes”. Me encontrei com conhecidos que queriam me convencer de que o vírus faz parte de um complô nazi-liberal-comunista de enfraquecer sei lá que tipo de democratura iliberal.

Não precisamos desse tipo de explicação para dar sentido à pandemia porque a nossa fé cristã torna a vida significativa, mesmo em meio a morte inesperada.

2) O valor do cristianismo não veio de eventos miraculosos, ou de coisas do gênero mágico prosista, mas do desejo e empenho dos primeiros cristãos em, “promover e mover todos os seres criados em direção à Sabedoria divina e para isso, agindo com delicadeza, doçura e suavidade”.

“Escrevendo a respeito dos cristãos, Galeno [médico e filósofo romano, de origem grega, séc. II d. C.] afirma o seu espanto pelo “desdém dos cristãos pela morte (e por suas consequências), que se patenteia diante de nós todo dia”. Galeno não entendia a coragem e disposição dos cristãos em prestar auxílio aos enfermos durante a grande peste que assolou o Império Romano em 166 d. C. (STARK apud BENKO, 2006). Não foi milagre, mas amor dos cristãos, o que espantou o médico Galeno, que aliás fugiu de Roma durante a pandemia.

3) O cristianismo tem um Deus ético, que propõe aos homens uma vida exemplar. Ser religioso de verdade, para o cristianismo, não é cumprir rituais, mas assistir ao órfão e à viúva nas suas necessidades, “é padecer injúrias, sem devolvê-las; ser feridos com maldições mas bendizer; é pagar o mal com o bem”. Seu estilo de vida é que brilha por toda parte [não sendo escravos de paixões, nem sedentos por milagres, embora creia que eles aconteçam].


- “Afinal, que milagres operou o escritor e evangelista João que instruiu, transformou tantos e transtornou alguns, em tantas cidades?

O evangelista ainda testemunha que o grande profeta João Batista não fez nada de milagroso, “Porque João não fez milagre algum” (Jo 10:41);

E o profeta Elias, por que se tornou admirável? Não foi, porventura, porque ao rei falava com toda a franqueza? Não foi porventura mais eminente porque nada possuía do que pelos milagres que tinha realizado?

E quais foram os milagres pelos quais o demônio admirou o famoso Jó?;

Que milagres Davi, sendo ainda um garoto, teria operado, para que Deus exclamasse: “Achei Davi, o filho de Jessé, um homem conforme meu coração” (Atos 13:22);

E que mortos Abraão, Isaac e Jacó ressuscitaram? Que leprosos limparam?

E ignorais, porventura, que os milagres podem muitas vezes prejudicar, se não velamos constantemente? Por causa de milagres muitos cidadãos da cidade de Corinto se desentenderam entre si, muitos romanos se envaideceram (...) muitos foram rejeitados e pereceram, ao querer por meio dos milagres, um dinheiro, e o outro, glória.

Em troca, o cuidado de viver com retidão e o sincero amor à virtude, não só não geram tais ambições, como, se essas já tiverem nascido, as arrancam pela raiz” (João Crisóstomo).

A verdadeira fé em Cristo não se encontra nos milagres, mas na ausência deles.

- “Bem aventurados os que não viram e creram”, Assim disse Jesus.


577 visualizações1 comentário
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon

Contato

E-mail: psahium@hotmail.com